segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

ANO NOVO, VIDA VELHA




O calendário novo está alcançável. Agendas novas também, já estão a postos. O ano novo está chegando.
 Fogos de artifício começam a fazer BUM! dentro de mim comemorando tantas coisas boas acontecidas em 2013. Que pena, 2013 está indo embora! Ah se eu pudesse começaria tudo outra vez...Que ano bom!

Nada contra o novo, nem contra o ano novo . Quero sim, que venha 2014 naturalmente, com toda a graça que ele quiser chegar. Rebolando na minha frente com tantas oportunidades, seduzindo-me com todos aqueles doze meses para eu tocar acordes de felicidade. 

Mas não quero vida nova. Quero minha vida velha. Sabe aquele travesseiro macio e velho? Aquele chinelo confortável e velho? Aquele vestidinho de ficar em casa? Quero minha vida velha. Custei tanto para deixá-la assim, tão do meu jeito. Pode ficar melhor? Pode. Mas nova, não quero não. Quero ano novo, vida velha.

Quero o conforto dos colos amigos (velhos amigos). Quero a ternura dos olhares queridos (velhos queridos). Quero as paisagens com as histórias que vivi (velhas paisagens). Quero ano novo, mas a minha vida tem que ser velha.

Sou de uma geração que ainda não se acostumou com tantas novidades, coisas descartáveis demais.  Entendam que minha resistência é  abandonar o velho pelo valor que ele tem e ainda, em aceitar o novo pelo simples fato de ser novo, sem nenhum critério de seleção.

Então, coisas velhas me fazem bem. Até os móveis velhos estão na moda. Outro dia li numa revista de decoração que os móveis antigos contam uma história. Estão na última moda, pode? Coloquei a minha escrivaninha velha no quarto do meu filho e disse a ele: esta foi a minha primeira escrivaninha, quando comecei a trabalhar há 30 anos. Olha quanta história!

Gosto de colocar uma blusa antiga misturada com um sapato novo. Ninguém percebe. Mas a blusa tem uma história.

E assim, a blusa, a escrivaninha, e toda a minha vida velha, têm um valor muito grande. Feliz ano novo! Que ele se junte a todos os outros anos velhos cheios de boas recordações!

Kátia Ricardi de Abreu
www.katiaricardi.com.br
www.facebook.com.br/katia.deabreu